Cenas que valem o ingresso #2 – Um dia de fúria

1 09 2009

Conforme prometido, hoje é dia de “Cenas que valem o ingresso”. O filme de hoje será o ótimo “Um dia de fúria”, do diretor Joel Schumacher, lançado em 1993. O filme conta história de um coitado que ao ver sua vida desmoronando (trabalho vai mal, trânsito caótico, familía que o ignora…) perde a cabeça e sai tocando o puteiro. O legal do filme é que o Michael Douglas passa por situações bem comuns, como lidar com funcionários mal educados, preços abusivos em mercados e serviços mediocres em fast food, e ele faz o que todo mundo já teve vontade de fazer: quebrar tudo!
Vou postar duas cenas clássicas do filme:

1 – No mercadinho do Koreano.
Um koreano mal encarado trata o cliente que nem lixo, os preços são abusivos….não, não estou falando da cantina da Puc. É a cena mesmo. Perfeita! haha

2 – Atendimento péssimo e comida mediocre em um fast food
Quem nunca pediu um suculento hamburger, fantasiando com o majestoso sanduiche em exposição na foto atrás do balcão? E dai abre a caixinha, e ve um maldito X-salmonela amassado e engordurado.

Espero que gostem!
Gostaria de agradecer a todos que estão comentando nos posts. O blog está engatinhando ainda e cada comentário é um incentivo para que continuemos a postar aqui =)

Ass,
Juan.





Cine – Halloween – O início

28 08 2009

Hey! Sexta é dia de estreias no cinema, então toda sexta vamos analisar um filme (novo ou velho hahaha)
O primeiro “Cine” do CP será sobre o filme “Halloween – O início”, remake do clássico de John Carpenter, de 1978.
Resumindo em uma palavra, o remake é uma MERDA.
Mas eu estou me referindo à versao que trouxeram para o Brasil, e foi RETALHADA pela “censura”. Por se tratar um filme de Rob Zombie, já é de se esperar muito sangue, certo? Bom, foi assim na versao americana, que conta com 109 minutos de duração. Porém, a “Playarte”aqui no Brasil não gostou de tamanha violência exercida por um garotinho doente, entao, decidiram cortar o filme inteiro quase =) Nos cinemas brasileiros, temos que nos contentar com 83 minutos de filme.
As classicas cenas do começo do filme, nas quais o pequeno Michael Myers coloca uma máscara de palhaço e sai matando geral, foram deletadas. Ou seja, a pessoa desinformada assistindo ao filme não entende NADA do que está acontecendo. Resumindo, mataram a obra de Rob Zombie, que sinceramente, já nao devia ser lá essas coisas.
O único ponto forte do remake = a trilha sonora. Continua tao assustadora quanto a original, perfeita para o clima do filme.
Fico triste e confuso com tudo isso. Vamos usar o (excelente) filme Bruno como exemplo. No filme, há cenas de nudez (close de um pintocoptero), um bebê numa jacuzzi cheia de viados, com direito a “69 aquático” hahahah. Isso é tao “chocante” quanto uma criança violenta matando pessoas. É deprimente que em 2009 um bando de censores estraguem um filme dessa maneira. Frustrante para quem pagou o ingresso para ver uma obra plena, frustrante para os fans do filme.
É isso, daqui a pouco vão colocar receitas de bolo nos filmes da Xuxa. (até que não é má ideia)

Fiquem com o trailer do Halloween de 1978 e do Halloween novo:

John Carpenter:

Rob Zombie –

Ass,
Juan.