Funk – Patrimônio cultural do Rio de Janeiro

3 09 2009

Hey! Estava navegando pelo cifaclub, quando me deparo com a seguinte notícia:

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou na terça-feira (1/9) o projeto que estabelece o Funk carioca como patrimônio cultural do estado.

O texto do projeto garante a livre manifestação e a proteção do movimento, além de prever punição contra formas de preconceito e discriminação.

O projeto é de autoria do deputado Marcelo Freixo (PSOL), com colaboração dos deputados Paulo Melo (PMDB) e Wagner Montes (PDT).

fonte: http://www.cifraclubnews.com.br/noticias/18704-projeto-que-estabelece-funk-como-patrimonio-cultural-aprovado.html

Antes de mais nada, deixo claro que o que vou escrever é minha opinião, e todos estão convidados a discordar ou concordar com ela no comentários do blog =)

1 – Funk carioca não deveria nem ser chamado de FUNK, pois isso é cuspir na cara James Brown

2 – Não existe nada mais importante para se discutir na assembleia?

3 – Todos são livres para ouvir e dançar o que bem entender, mas pancadão ser considerado patrimônio cultural em um país tao rico culturalmente quanto o Brasil, é um insulto.

4 – No projeto de lei, falam em punição contra formas de preconceito e discriminação: ah sim, pois as letras do funk são super respeitosas, certo??? Os funkeiros tratam mulher como lixo, reles pedaços de carne pra fazer “creu na velocidade 5”.

5 – Aos deputados que aprovaram o projeto de lei: vão vender sorvete na praia!

E aí, qual é a opinião de vocês?


Ações

Information

12 responses

3 09 2009
Maria Cláudia

Quem diria que eu concordaria com um argentino?! Falou E disse, Juanito.

3 09 2009
Thu

Falou e disse meeesmo! Isso é cuspir na cara de James Brown!
Se os funkeiros já não respeitam as mulheres, pior ainda as funkeiras que deveriam se dar ao respeito mas só pioram tudo com letras e danças vulgares. Vergonha!

3 09 2009
Funkeiro com orgulho

Funk revela a realidade brasileira, não a maioria divulgada na mídia, mas os funks cariocas de raíz, os que não se venderam à mídia, tratam de problemas sociais recorrentes nas favelas do Rio de Janeiro. Portanto, mais do que certo esse projeto de lei ser aprovado.

Ass,
MC True

4 09 2009
Flavio Barata

Vejo que o seu link leva para o site do Serginho o famoso crewwww, o funk
divulgado pelo Serginho seria um desses que não se venderam a mídia ?

4 09 2009
Funkeiro com orgulho

huauhahu to zuando velho…

3 09 2009
Nat

Prefiro “não comentar”. Vergonha…

5 09 2009
Victor

Prefiro “não comentar”. Vergonha…[2]

14 09 2009
pedro

vcs daum muito valor para as letras..eu adoro funk e curto a contruçao dele….
a riqueza de elementos nele eh absurda.. por isso mesmo q u funk faz maior sucesso lah fora(europa ,estados unidos) ,pq a galera n entende as letras e n tem preconceito eles apenas curtem u som…e gostaria de lembra q o hiphop eh du mesmo jeito baixem as letras e vejam suas traduçoes

14 09 2009
cidadeproibida

Hip Hop eu acho pior que funk nas letras, principalmente esses mais comerciais. Que bom que você não da valor as letras, mas tem gente que dá, gosta de funk e acha que aquilo é poesia.

5 03 2010
Ana Paula

Toda música deve ser respeitada, pois revela um lado da nossa cultura. Mas o Funk como conhecemos hoje é motivo de vergonha nacional.
Acredito que o Rio fez isso como meio de cuidar do funk, colocá-lo nas escolas para estudar a sua história e até mesmo promover discurssoes a respeito do assunto como esta aqui.
Só se ama, o que se conhece.
E infelizmente alguns locais de periferia em sua maioria, o funk é só o que se ouve. As crianças crescem ouvindo essa realidade. Passam a gostar.
Por isso como educadora musical, gosto de uma outra lei que obriga o ensino da música nas escolas, pois, essas crianças/adolescentes vão ter oportunidade de estudar, ouvir, conhecer e discutir sobre outros tipos de músicas e culturas além do funk.
Não gosto do funk comercial, ele é sensual nas suas batidas, ele aliena.
Moro no ES aqui a música que representa o estado é o congo que também é visto com preconceito.
Não sou a favor da sensura mas nestes casos acho que deveria haver um controle sobre as letras dessas músicas da mídia, não só o funk, mas todas.
Pois ao que vejo o maior problema é esse a letra que são ofensivas, violentas, pornográficas, etc.
Acho impossivel alguém se sentir ofendido por ums música instrumental. Abraço!!! E a discussão continua…

5 03 2010
cidadeproibida

Olá,

o problema que vc ressaltou das letras é um dos pontos principais, creio eu. Além das letras promiscuas, há mtas que falam de violencia e até sobre matar policiais. Claro que nao dá pra generalizar, mas é o q mais vemos por ai mesmo. Concordo com seu ponto de vista também sobre ser obrigatorio aula de musica nas escolas. Isso abre mtos horizontes pras crianças, incentiva a q elas aprendam a tocar algum instrumento e “ocupem” sua cabeça com coisas boas.
Abçs!

5 06 2010
guterson

Sempre acreditei que a musica deveria nos passar alguma mensagem, seja ela alegre, triste, engraçada, politica ou alguma outra, mas que ainda sim, transmitisse alguma mensagem.
Uma ocasiao eu ouvi algo do tipo;
“…eu so quero é ser feliz
viver tranquilamente na favela em que eu nasci,
e poder me orgulhar
e ter consciencia que o pobre tem seu lugar…”
Eu gostaria de saber quem decretou a lei que estabelece que o lugar de pobre é so em favela. E mais; nao tendo condiçoes ate entendemos, mas ter orgulho de morar em favela? Nao viagem…
Entao eu me pergunto:
Qual tipo de mensagem a musi… o ruido funk transmite a quem fica proximo o bastante pra ouvir?
Imaginem a cena; seu filho chegando da escola e como dever de casa ele deve fazer um funk!
É so narrar um filme porno q tira 10!
Logo agora que acabaram com a aprovaçao automatica me aparece outra estupidez!
Mas tem seu lado bom, porque se pornografia é patrimonio cultural passa a nao ser tao ruim assim um individuo ser analfabeto.
Outra duvida; O que o funk traz de bom?
Reduçao dos preços dos toxicos?
Maior oferta de mao de obra assassina?
-mate 2 pelo preço de 1!
-So hoje aqui na minha mao vc paga 1 garota e de quebra ainda leva outra menor de 14 anos, quem vai? quem vai? Mais alguem?
Vai ser otimo transformar em movimento cultural.
E as “letras”? Um festival de concordancia nao é mesmo?
Ai agente fomos…, nois vai passar…, ta ligado? e por ai vai.
Agora imaginem, um casamento onde os casais dançam com uma “musica” cujo a letra diz como foi que o cara pegou a cachorra da mulher no quarto, como foi a penetraçao, a posiçao que ela ficou enquanto os convidados dançam com maozinha no joelho ate o chao. (muito lindo…)
Como diz o marlboro realmente os bailes funk precisam ser organizados, e fiscalizados…
-No baile de hj vao matar so seis pessoas, no de domingo que vem so quatro…
Uma coisa é certa:
Como diz o romulo costa, não pode mesmo virar caso de polícia.
(Ja é um caso de doença mental.)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: